William Mendonça
POESIA, PROSA, MÚSICA E TEATRO
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Meu Diário
01/07/2011 08h00
ESTATÍSTICA GERAL DO SITE www.williammendonca.com

 

O site passará a publicar semestralmente, sempre em 1º de 
julho e 1º de janeiro, as estatísticas de acesso e os destaques
entre os textos, e-books e áudios disponíveis. O objetivo é 
manter o leitor informado, orientar possíveis apoiadores e 
sistematizar uma prática que já vinha sendo adotada, de forma
esporádica, pela administração do site. A fonte dos dados é o 
provedor do site www.williammendonca.com, o Recanto das 
 
NÚMEROS DO SEMESTRE:
18188 acessos entre 01/01/2011 e  30/06/2011
7011 visitas entre 01/01/2011 e  30/06/2011
 
NÚMEROS GERAIS:
187567 acessos até 30/06/2011
49429 visitas até 30/06/2011
 
E-BOOKS:
1000 DOWNLOADS
Média: 166 por livro
Destaques: os livros Viajante Noturno e Realidade Nua e Crua
com mais de 250 downloads cada um
 
TEXTOS:
23635 LEITURAS
Média: 156 por texto
Destaques: a crônica Orfeu, o mito reinventado, há mais de dois 
anos o texto mais lido, com 1845 leituras, e as séries de 
crônicas e de biografias, com oito textos cada entre os vinte 
textos mais lidos do site.
 
BLOG:
12498 LEITURAS
Média: 201 leituras por post
Destaques: as colunas culturais de William Mendonça (Informe 
Cultural e Balaio Geral), com duas postagens com mais de 380
leituras cada, liderando as estatísticas.
 
ÁUDIOS:
3158 AUDIÇÕES
Média: 210 audições por arquivo
Destaque: A música Dama da Noite, a primeira a ser 
disponibilizada no site, que é a mais ouvida há quatro anos, 
com 646 audições, o dobro do segundo arquivo mais ouvido, o 
 
 
ESCLARECIMENTOS DO PROVEDOR DO SITE:
Acessos: um acesso acontece toda vez que um visitante 
acessa uma página do seu site. Em uma mesma visita, o 
visitante pode acessar diversas páginas.
Visitas: uma visita acontece toda vez que um visitante entra no 
seu site, não importando quantas páginas ele acesse. Um 
mesmo visitante pode realizar diversas visitas em horários 
diferentes.

Publicado por William Mendonça em 01/07/2011 às 08h00
 
04/06/2011 14h00
A VOLTA DOS QUE NÃO FORAM

Para comemorar a volta do site às suas atividades normais, uma mudança para um layout florido e solar, para fugir de qualquer pensamento sombrio, e a publicação de alguns textos que fogem um pouco ao padrão do que produzo.

Os poemas "De quem perdi" e "Canto de Trabalho" fariam parte de uma peça de teatro, com uma temática mais rural, usando elementos da cultura popular que, no fim das contas, acabou não se tornando realidade. Como gosto de escrever nesse formato (tirado de algumas formas tradicionais dos cantadores nordestinos, como a embolada e o coco), decidi continuar criando poemas no mesmo estilo. Aos poucos, vou publicando por aqui.

Quem visita o site agora também pode fazer o download gratuito do livro de haicais VISTA ZEN, que reúne meus pequenos poemas de mais de duas décadas. O formato é bem legal, como um encarte de CD. Ele já estava disponível no Recanto das Letras e agora aparece aqui no site.


Publicado por William Mendonça em 04/06/2011 às 14h00
 
26/02/2011 00h00
ATIVIDADE EM 2011

O ano de 2011, artisiticamente, começou numa boa - participei de um evento na Casa de Cultura Heloísa Alberto Torres, em Itaboraí, no dia 5 de fevereiro. O projeto "Do violão ao Folk", com o ex-vocalista da Plebe Rude, Jander Ribeiro, teve na abertura a apresentação de quatro poetas locais - Saulo Matos, Marlei Dutra, Aline Matias e este que vos fala. Também participaram poetas do evento "Uma noite na taverna", que acontece em São Gonçalo reunindo músicos, atores e poetas.

Falei no evento alguns poemas, principalmente sonetos sobre a arte de fazer poesia, mas tenho que destacar na minha apresentação a leitura de "A Mente Viaja", poema e letra de música do meu amigo Ricardo Mann (que você encontra aqui no site), um texto que gosto muito.

Espero que o evento represente o início de um movimento cultural ligado à poesia em Itaboraí, quem sabe com eventos como este mais frequentes e com mais poetas.

 

Sobre o site, aqui vão algumas estatísticas:

ÁUDIOS - 3.115 audições - média de 207
E-BOOKS - 637 downloados - média de 124
TEXTOS - 21.704 leituras - média de 147
BLOG - 11.964 leituras - média 199
TRÁFEGO - 4783 visitas (últimos quatro meses) - média 1195
                     13770 acessos (últimos quatro meses) - média 3442
 


Publicado por William Mendonça em 26/02/2011 às 00h00
 
01/01/2011 00h00
FELIZ ANO NOVO!
A todos os visitantes ocasionais e à turma que aparece
por aqui com frequência,
aos amigos que deixam seus comentários e aos que
lêem em silêncio,
aos que me conhecem pessoalmente e aos que só
sabem do que escrevo,
e, como dizia o mestre Chacal,
"aos ogros, aos loucos, aos poucos como nós",

FELIZ 2011!

Caminho aberto para todos nós ...


Publicado por William Mendonça em 01/01/2011 às 00h00
 
23/12/2010 21h00
AUSÊNCIAS E PRESENÇAS
Essa passagem de novembro para dezembro me deixou meio sem palavras. Tanto que não publico nada de novo no blog há algum tempo. Fiquei pensando nas amizades que a gente tem, mas às quais não dá a atenção merecida - a vida é meio estranha mesmo, sempre há uma desculpa para não procurar as pessoas, seja a distância, o trabalho, ou o cansaço. No final, cheguei à conclusão, é tudo desculpa, porque quando alguém é prioridade pra você, é mesmo, e você tem que dar atenção a essa pessoa, porque o tempo passa, as oportunidades de estar próximo vão diminuindo e tudo o que a gente não vive faz falta.
Eu estava pensando nisso pelo fato de viver em Tanguá e meus verdadeiros amigos não viverem aqui. Qualquer viagem é um calvário, um custo, uma epopéia ... Mas será mesmo? Será que não fico, na verdade, arrumando desculpas para minha própria indolência, para o meu jeito capricorniano de não ser lá muito emotivo no dia-a-dia? Está lá longe meu irmão mas ele, sempre que pode, arruma um jeito de vir à minha casa, só pra jogar conversa fora ou pra falar coisas sérias. Ele vem, também pra ver minha família, minha casa bagunçada, meus gatos e cachorros, minhas tentativas de fazer algo construtivo da vida. É longe, mas ele vem ...
No final de novembro, eu estava pensando nisso quando me chamaram para participar de um evento, o ItaboraRio, falando poesia, ao lado de um jovem poeta que tem idade pra ser meu filho, Saulo Matos, e dois mestres poetas tão doidos quanto meu finado pai, Chacal e Fausto Fawcett. Fui pro palco ler meus versos, pra homenagear uns amigos, lembrar de outros que já se foram, dizer eu te amo pra minha esposa e falar dos meus filhos, que também não estavam lá. Fui pro palco pra ser eu mesmo, um cara que já passou dos 40 mas ainda vive a emoção dentro do peito, raramente explodindo tudo isso a não ser nos versos, na música, na arte. Se você já leu o que eu escrevo, tenha certeza: você me conhece.
Publico no site um poema de 1987, chamado A MIL POR HORA, que é a abertura de minha peça de teatro "Sobre o vôo", o primeiro texto que falei no ItaboraRio e que fala sobre minha geração, os amigos, as idéias, a vida, enfim.



Publicado por William Mendonça em 23/12/2010 às 21h00



Página 7 de 19 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]